Como é feito o diagnóstico de tuberculose?

O diagnóstico de tuberculose nem sempre é simples. A maneira ideal de fazermos esse diagnóstico é encontrando o Mycobacterium tuberculosis, bactéria causadora da doença, mas às vezes o bichinho se esconde!

Primeiro, uma avaliação clínica!

O passo inicial na avaliação de uma pessoa com suspeita é tuberculose é uma consulta clínica.

Nessa consulta será feita a anamnese, que nada mais é do que a entrevista com o paciente, na qual ele relatará seus sintomas e o médico fará as perguntas pertinentes para a criação das hipóteses diagnósticas.

Na sequência será feito o exame físico, durante o qual o médico seguirá na sua busca por sinais que auxiliem a formular as suspeitas clínicas.

Em seguida, exames complementares.

Os exames solicitados dependem da forma de tuberculose que está sendo investigada.

Forma pulmonar:

  • Em geral são solicitados exames no escarro, como a baciloscopia, a cultura e o PCR, todos na intenção de identificar o Mycobacterium tuberculosis.
  • Também costumam ser solicitados exames de imagem, como a radiografia ou a tomografia, que não dão o diagnóstico de certeza mas nos dão várias pistas sobre hipóteses e grau de acometimento do pulmão.

Outras formas:

  • A tentativa de identificação da bactéria utilizando baciloscopia, cultura e PCR também pode ser feita utilizando outros materiais, como o líquido pleural, o líquido cefalorraquidiano e fragmentos de tecido (por exemplo, um linfonodo).
  • Biópsias de tecidos com suspeita de acometimento podem nos fornecer material para a realização de exames anatomopatológicos.
  • Exames de imagem como a tomografia também podem nos dar informações na pesquisa de formas extrapulmonares de tuberculose.

Por ser um diagnóstico muitas vezes complexo, o ideal é que o paciente com suspeita de tuberculose tenha o acompanhamento de um médico especialista com experiência na doença.

Entre em Contato